23 de junho de 2008

da tua porta pra dentro.

quero que me desenhe pelas costas, qualquer dessa intenção entorpecida. vinho em boca macia, venho pra te contar. bati na tua porta, quem me recebeu foi um dos teus gatos, achou mesmo que estivesse apaixonada por outro, achou mesmo que estivesse de vermelho por puro descuido. meus descuidos não são tão óbvios, minhas setas tem todos rumos, tenho mãos pequenas que cabem bem em teu bolso, cachos pros teus dedos. hoje de certa euforia, bati na tua porta, cantarolando qualquer melodia que te anunciasse o convite. que te deixasse a clareza estampada no meu riso, te quero arranhando a minha libido, fazendo bagunça com meu sentido, colando estrela pro nosso carinho.
.
escutando libido de Andréia Dias
hmm

3 comentários:

Uma menina colorida. disse...

Moça de cachos pra enroscar os dedos... Me identifiquei com o comentário. Os meus, avermelhados agora, tem me servido bem de carinho nele...

Somos mesmo irrestíveis qdo somos nós mesmas.

amo.
Vc.
e os cachos...

Heyk Pimenta disse...

massa.

qual foi a intenção?

pergunto sem frescura. você pretende o quê num texto desse? Delimita o estilo, só cospe, constrói ou monta, como é?

gostei porque tava embriagado aqui com um egberto desses e lá dentro das fotos, mas queria saber mais do texto. se outras tbm talvez.

Júnior Dish / de Paiva disse...

Quero emaranhar...teus cachos.
subir ao céu de teu olhar.
mergulhar em tuas nuvens sólidas de teu eixo...

apenas!