31 de maio de 2013

saudade




Sentir a saliva salgada enquanto a brisa entra pelas narinas, dedos envoltos de areia.Abraçada pela praia
Sentir tudo isso de olhos fechados,de peito aberto, ouvidos atentos.
Há música no mar e morar longe dela me fez apaixonada.
Romantizo o mar,e me bordo toda desse romance
São rendas as ondas do mar.

A ilustração é da sul-coreana Suzy Lee e pertence ao livro Onda, que nos leva para a beira do mar junto com uma pequena, e é com ela que descobrimos esse mar, lindo, cheio de mistério e dança.
 Aqui te mais dela: http://www.suzyleebooks.com/

22 de maio de 2013

Sobre sonhos.

Sim, é onírica a obra de Antonio Mora. Ele trabalha com colagem digital e transporta nosso olhar para um universo de quimeras, desejos, sonhos.



Aqui tem mais do trabalho dele, lindo :http://pinterest.com/pil4r/antonio-mora/

21 de maio de 2013

Um amor assim para a noite de ter-ça.

Dia do índio nos anos 80, era chegar em casa pintada de guache ( nunca esqueci o cheiro) com colar de macarrão e um cocar de papel.Era a minha mãe preparando logo a câmera fotográfica e produzindo uma cena, me dirigindo enquanto eu não tirava aquela "coisa agoniante" da cara. Revendo álbuns antigos, lembrei de muitas cenas assim, a minha mãe provavelmente foi a minha primeira referência no universo da fotografia. E mesmo que eu não gostasse de posar aprendi sobre a importância do registro. Esse momento era só meu e dela, minha fotógrafa!

Escrevi esse texto mês passado numa reflexão sobre o olhar da minha mãe, e a nossa relação quando eu era fotografada por ela. Depois de sua morte, foram esses os registros mais fortes dessa cumplicidade: fotógrafa/fotografada.Hoje me deparei com um ensaio feito pela fotógrafa norte-americana Jaime Moore que retratou sua filha, Emma com 5 anos, reproduzindo retratos de ícones do feminismo.

(Tirei trecho do texto lá do Machismo Chato de Cada Dia)



"Refletindo em seu blog, ela admitiu que é impossível não se fascinar com essas belas mulheres de vida e corpo perfeitos, mas que essas eram simplesmente personagens de contos. 'Uma fantasia pouco realista para a maioria das meninas', disse ela." 



"Ela então começou a pensar em todas as mulheres que sua filha Emma deveria conhecer. São mulheres reais, que sem conhecerem sua filha, mudaram sua vida para melhor." 


Susan Brownell Anthony


Foi uma feminista líder do movimento norte-americano dos direitos civis. Teve um papel importante na luta por Direitos da Mulher no Século 19 para garantir o direito ao voto nos Estados Unidos. 

Helen Keller

“Mantenha seu rosto ao sol e assim não verá as sombras”. É uma das mais valentes mulheres que passou por este mundo. Autora, ativista política e oradora norte-americana com deficiência visual e auditiva, o que nunca a impediu de sentir a vida e dizer a verdade. 



Para ver outros retratos feitos por Jaime, aqui tem mais:http://machismochatodecadadia.tumblr.com/post/50986608168/fotografa-rompe-com-estereotipo-barbie-e-retrata-sua


Sobre o que passou!

Quero ter mais tempo para escrever, para pesquisar como antes....para fotografar por tesão apenas.
Mas enquanto tudo isso não acontece, ou acontece lentamente num reencontro...recomendo outro reencontro, com um tempo que não vivemos.
Em comemoração aos seus125 anos, a National Geografhic criou um tumblr com fotografias antigas de culturas diversas. São imagens lindas e que nos transportam para outra época.
Aqui tem mais: http://natgeofound.tumblr.com/

 DAVID BOYER, Virginia 1974

 MAYNARD OWEN WILLIAMS. Paris, 1935

VOLKMAR K. WENZTEL, Viena 1959

18 de janeiro de 2013

ai Maria


Maria Bethânia para sexta a tarde, quando se tem tempo e sobretudo peito aberto para ser feliz:

15 de janeiro de 2013

Hushpuppy é minha heroína.



Ontem me emocionei assistindo ao filme Indomável Sonhadora. História protagonizada pela heroína Hushpuppy ,uma menina de 6 anos, negra e muito "pobre". Um filme repleto de ludicidade, atuação e texto emocionantes. Assim como li na page O machismo nosso de cada dia: "Quvenzhané Wallis nos mostra que uma garotinha pode realizar muito mais do que a apatia machista e racista espera de meninas e mulheres."
Preciso rever e reverberar melhor.


14 de janeiro de 2013

dia 14.

Décimo quarto dia do ano de 2013, e começo com Moreno. Já falei dele aqui outrora, mas essa ilustração linda do espanhol define, decifra e expressa o que sinto agora.
Para conhecer mais do trabalho de Gabriel Moreno visite seu site e seja feliz assim como eu!