26 de abril de 2009

De Brasília trouxe cores.

Zizi das sonoridades é o abraço mais esperado, longo, às vezes molhado ( suor de quem tanto dança). No descompasso, abre bem a boca, me coroa com o riso largo. Linda e sonora, sempre. Em cambaleios pintada, densa.Na correria de vida, desvios, indas, repique. A gente se esbarra, e da última vez não poderia ter sido melhor. No samba, no quente, adormecendo a alma de tanta cadência.É assim, fluindo sem muitas rotas, transbordando de saudades mas caindo sempre aos acasos. ZiZzZZzZzi borboleta pousou em mim, o que me rendeu tanta coisa boa. E agora a casinha no caos espera a dona moça para mais cambaleios e brindes.

2 comentários:

Natália Nunes disse...

eu vi as fotos do flickr, gostei muito, mas essa, aqui no blog, ficou belíssima! esse azul, essa luz...

Joni disse...

A tua literatura é música, reflexo da "leveza" brasileira, em conjunto com a qualidada tua fotografica. É um prazer visitar-te.
beijo